Notícias

Bloqueios em estradas afetam abastecimento em Porto Alegre

Protestos-causam-falta-de-produtos-em-Porto-Alegre-McDonalds

As manifestações promovidas por caminhoneiros em vários pontos do país provocam escassez de produtos no dia a dia de diferentes áreas do comércio na Capital.

Os bloqueios nas rodovias levaram ao atraso de entregas de mercadorias e resultaram em falta de itens em setores tão variados como vestuário, alimentação, mercados e construção civil.

O gerente de vendas da loja de ferragens Guido A. Jacobus, Tiago Jacobus, afirma que faltaram até peças de larga utilização na construção civil como alguns tipos de parafusos. Pelo menos cinco grandes entregas deixaram de ser feitas devido às interrupções de rodovias entre Santa Catarina, de onde saem os produtos, e a Capital.

— Algumas entregas começaram a ser feitas nesta segunda-feira, mas tivemos uma queda de 10% no faturamento de fevereiro pela falta de materiais — sustenta Jacobus.

A situação é semelhante no setor de vestuário. Embora a escassez não seja generalizada, diversos itens sumiram dos mostruários. Fabiana Estrela, da Estrela Franquias — responsável pelas marcas Barriga Verde e Caverna do Dino —, conta que peças de roupas como calças de moletom de vários tamanhos estão em falta.

— Parte está nas fábricas, parte nas transportadoras, parte presa na estrada. O ruim é que pegou o período de volta às aulas, e a situação pode piorar bastante em março se continuarem os bloqueios — afirma Fabiana.

Também há reflexos em mercados. No Supermercado Tradicional Menino Deus, por exemplo, carregamentos de leite e carne deixaram de ser entregues. A direção precisou buscar novos fornecedores para não esvaziar as prateleiras.

Outros estabelecimentos, como o restaurante McDonald’s localizado na Avenida Eduardo Prado, zona sul da Capital, procuram se precaver. A loja colocou um aviso em todas as entradas: “Em virtude da greve dos caminhoneiros e da consequente dificuldade de abastecimento, alguns itens de nosso cardápio poderão não estar disponíveis. Agradecemos a compreensão”.

Fonte: Jornal Zero Hora via Portal de Notícias ZH (Click RBS)


Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *